top of page
  • Foto do escritorLuiz Gustavo

Dossiê Luccas Neto - Como o "Hater Sincero" virou a Xuxa da internet

Luccas Neto, carioca de 27 anos, tem mais de 23 milhões de assinantes em seu canal do Youtube. O conteúdo é infantil e atualizado diariamente. Há seis semanas, é o autor número um da lista de livros infantojuvenis vendidos no Brasil, se tornando uma das pessoas mais influentes e poderosas na internet brasileira. Hoje em dia, Luccas ganha milhões com seu conteúdo - mas antes disso, Luccas Neto era o "anti-youtuber".


Luccas, um adulto de 1,80m, de cabelo platinado e encoberto por um boné virado para trás, iniciou sua jornada produzindo vídeos online há três anos, sob a alcunha de "Hater Sincero". Hater é um termo da internet para aquele que odeia, critica e reage negativamente a algo; daí dizer Hater Sincero, como aquele que diz o que pensa, sem papas na língua. Luccas Neto criticava celebridades da internet e a cultura consumerista vendida ao público infantil online, chegando até mesmo a ser judicialmente demandado por ofensas a uma adolescente.


A internet já faz parte da família Neto; Luccas é irmão de Felipe Neto, um dos canais pioneiros na internet brasileira, sendo, inclusive, o primeiro canal do Brasil a alcançar 1 milhão de assinantes na plataforma Youtube. Na época, Luccas trabalhava para o irmão nos bastidores: editava, pesquisava e empresariava para o irmão.


Mas em 2016, Luccas teve um insight: viu o enorme potencial lucrativo no mercado, na época ainda insipiente, de criação de conteúdo voltado para o público infantil. Abandonou a alcunha de Hater Sincero e começou a produzir vídeos para crianças; a fala natural e compassada do Hater Sincero foi substituída por um diálogo lento e alto, com vogais audíveis e muita gesticulação. As críticas à celebridades e influenciadores foram substituídas por vídeos de Luccas comprando e abrindo doces e brinquedos. Em meio a títulos como "MISTUREI TODOS OS CHICLETES E PROVEI", e "O MELHOR BRINQUEDO DO MUNDO DE R$500,00", Luccas encontrou sua porta para a fama: um vídeo onde Luccas enche uma banheira de Nutella e mergulha nela, batendo as mãos e fazendo sons de foca. A piada da foca é tão recorrente em seus vídeos que Luccas costuma chamar seus fãs de "foquinhas".


No ano de estreia do Luccas Neto infantil, 2016, o youtuber conseguiu 100 mil inscritos. Ao final de 2017, já eram 1 milhão; em 2018, 10 milhões. Até agora, em 2019, já são 24 milhões de inscritos no canal do influenciador. O youtuber rapidamente sofreu duras críticas ao excessivo consumerismo que divulgava em seus vídeos. Frequentes eram as críticas e queixas de pais que viram seus filhos, após consumir o conteúdo de Luccas, desejarem mais brinquedos; mais comida; mais de tudo.


O youtuber aparenta ter acatado as reclamações. Deletou 96 vídeos que continham palavrões ou conteúdo distinto da sua nova linha editorial - criada, segundo o youtuber, por uma equipe de pedagogos e professores. 2 bilhões de visualizações foram apagadas da página. As propagandas pararam, voltando a aparecer no conteúdo do youtuber recentemente, que argumenta estar preocupado mais em contar uma história e ajudar famílias do que divulgar empresas e marcas.


Além da receita com a monetização de seu conteúdo online, Luccas Neto tem uma lojinha virtual, com camisetas e bonecos do influenciador, e rotineiramente faz shows por todo o Brasil, levando espetáculos que se assemelham a gincanas.


Fonte: Folha de São Paulo; Chico Felitti

 

A equipe do MODI sempre aconselha que, ao permitir o consumo de qualquer conteúdo online, os pais estejam presentes ou ao menos cientes do que está sendo consumido. Nas diretrizes do Youtube, o uso por crianças deve ser sempre feito em contexto familiar e auxiliado por um adulto responsável.


O conteúdo de Luccas Neto pode e tem influenciado crianças por todo o Brasil. Essa influência não pode ser desconhecida pelos pais, tanto em sua forma quanto conteúdo. Recomendamos que, antes de banir ou permitir o consumo de qualquer mídia, o responsável se inteire sobre o que está sendo consumido. Que assista alguns episódios junto à criança e decida se é permitido ou não.


Se, entretanto, o responsável desconhece por inteiro o que a criança consome, ou é impossibilitado de fazer este acompanhamento, o MODI oferece serviço de Monitoramento Digital, acompanhando a trajetória online da criança monitorada. Saiba mais clicando na aba "Monitore Agora!".



1.743 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page