top of page
  • Foto do escritorLuiz Gustavo

Apps de roubo de dados bancários crescem em 2019

O número de usuários de stalkerware, aplicativo para espionar namorado(a), aumentou de 40.386, em 2018, para 67.500 em 2019, segundo relatório publicado pela empresa de segurança Kaspersky. A pesquisa analisou as ameaças cibernéticas que atacaram celulares em 2019, de acordo com dados fornecidos por usuários dos aplicativos da fabricante russa. Os números indicam duas tendências: o crescimento de espionagem sem consentimento por stalkerwares e de roubo de dados bancários por cavalos de Troia. Confira na lista a seguir algumas das principais ameaças de segurança a celulares em 2019 e saiba como se proteger delas.


  • O número de vítimas de aplicativos stalkerwares aumentou de 40.386, em 2018, para 67.500, em 2019. O software disponibiliza a terceiros dados pessoais de usuários, como mensagens e a localização do celular. Os aplicativos de rastreamento mais sofisticados podem coletar quase todos os arquivos do dispositivo atacado, como fotos, telefonemas, textos e registro de teclas.

  • Stalkerwares são proibidos no Google Play, contudo eles podem ser encontrados nos sites de desenvolvedores e em portais de procedência duvidosa, o que aumenta o risco de brechas de segurança e golpes. É preciso prestar atenção a sinais importantes, como uso excessivo de dados móveis e consumo demasiado de bateria, para descobrir se o seu celular está sendo espionado por alguém.


  • Em 2019 foi detectado um novo método para interceptar dados bancários para aplicá-los em golpes financeiros. Até então, o roubo de informações de correntistas pelo celular acontecia por meio de transferências via mensagens SMS ou pela criação de páginas falsas de banco para obter os dados necessários. Contudo, o trojan bancário detectado pela Kaspersky em 2019 interceptava os dados bancários a partir da manipulação de aplicativos de Internet Banking.

  • O ataque é aplicado a partir do envio de uma notificação push no celular que seria supostamente do banco. O usuário acessa a aba para entrar no aplicativo e tem o smartphone infectado. O malware explora a ferramenta de acessibilidade para ter acesso total ao celular e movimentar o dinheiro da conta bancária de maneira remota. É importante acessar aplicativos bancários apenas por dados móveis para evitar vulnerabilidades de redes Wi-Fi, e instalar um antivírus no celular para proteger o sistema.

10 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page